Foto: Leidiane Lamarão
Observatório transfronteiriço

Amapá assina declaração de intenção para realizar a segunda fase do Projeto Bio-Plateaux

Objetivo é a construção de um observatório transfronteiriço para o compartilhamento de informações hidrológicas dos rios Oiapoque a Maroni.

Representado pela Agência de Desenvolvimento Econômico, o Amapá assinou, na sexta-feira, 29, a declaração de intenção para realizar a segunda fase do Projeto Bio-Plateaux, que tem como objetivo a construção de um observatório transfronteiriço, para o compartilhamento de informações hidrológicas dos rios Oiapoque a Maroni. Representantes da França e Suriname também subscreveram o documento.

A assinatura aconteceu ao final da reunião híbrida para encerrar os trabalhos da primeira fase do Projeto.

O diretor-presidente da Agência de Desenvolvimento, Joselito Abrantes, fez questão de enaltecer a participação de todos os envolvidos, em especial as instituições amapaenses e também, a Agência Nacional de Águas – ANA.

“O Governo do Amapá está sempre sensível às questões relativas ao Desenvolvimento e o cuidado com o meio ambiente na fronteira, assim como em todo Amapá. Ressalto que a assinatura é uma forma de garantir a continuidade de todo o nosso trabalho e apoio técnico nesta missão”, pontuou Abrantes.

Durante o encontro, foram apresentadas ações realizadas durante toda a primeira fase do Bio-Plateaux, que ficou subdividida em etapas de sensibilização, internacional, técnica e local.

A sensibilização internacional ocorreu no Congresso Mundial de Águas, em Marselha (IUCN), na França, em 2021, onde houve a assinatura de vários acordos, dentro da temática de Gestão compartilhada hidrológicas das guianas.

A Sensibilização técnica contou com vários treinamentos no Município de Oiapoque, sobre hidrologia espacial e o lançamento da plataforma Bio-Plateaux – site de compartilhamento de dados técnicos entre os participantes do projeto e acessível à todas as pessoas, o que facilitou a gestão compartilhada das informações das bacias hidrológicas pela comunidade técnica, também em 2021.

E a Sensibilização local foi o Projeto piloto de aula de águas, realizadas tanto no Brasil quanto no Suriname e Guiana Francesa, no período de 10 a 14 de abril de 2022. São aulas de conscientização às crianças, com acesso a realidade virtual e outros equipamentos, para que elas possam compreender como funcionam os rios com os seus diversos organismos.

O projeto BIO-PLATEAUX é cofinanciado pela União Europeia através do Programa de Cooperação Interreg Amazônia e visa desenvolver o compartilhamento de dados, informações e experiências sobre água e biodiversidade dos meios aquáticos entre a Guiana Francesa, o Brasil e o Suriname, em particular, nas duas bacias transfronteiriças dos rios Oiapoque e Maroni, para iniciar uma reflexão sobre os problemas de desenvolvimento e da partilha de conhecimentos da gestão dos recursos hídricos nas duas bacias.

A relativa complexidade da paisagem institucional em cada país, a multiplicidade de atores que produzem os dados, a heterogeneidade e a dispersão das informações, a falta de uma ferramenta global de ajuda à tomada de decisão, são alguns dos desafios considerados pelo projeto.

Além da Agência Amapá, participam da missão, a Agência Nacional de Águas – ANA, Office d`eau de Guyane ( Escritório de Água da Guiana-OEG), Canopée des Sciences, OiEau (Escritório Internacional de Água), Secretária de Estado do Meio Ambiente -SEMA, Instituto de Pesquisas Cientificas e Tecnológicas do Estado do Amapá- IEPA, Organização do Tratado de Cooperação Amazônica-OTCA, Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais- CRPM, Corpo de Bombeiros do Amapá-CBMAP, Direction Générale des Territoires et de la Mer- DGTM(Direção Geral dos territórios e do Mar), Prefeitura da Guiana e   Hydromatters, Institut de Recherche pour le Développemnet – IRD (Instituto de Pesquisa para o Desenvolvimento).

 

 

Por: Leidiane Lamarão


O que achou desta notícia?