Mercado Central de Macapá foi o primeiro grande prédio comercial da década de 50 | Fotos: Blog Porta Retrato

Conheça a história do Mercado Central de Macapá, que completa 69 anos de fundação

Prédio foi inaugurado no dia 13 de setembro de 1953 e foi um marco para a expansão comercial na capital.

Em 13 de setembro de 1953, foi inaugurado o primeiro e maior prédio comercial de Macapá da época: o Mercado Central. Construído estrategicamente na frente da cidade, onde as embarcações atracavam com mercadorias no Trapiche Eliezer Levy, o local iniciou a comercialização de carnes, verduras, roupas, comidas, farinhas, plantas e ervas medicinais, além de serviços de costura, sapatos e consertos em geral.

A construção do prédio foi iniciada em 1952, pelo governador Janary Nunes e o prefeito Claudomiro de Moraes. Segundo o historiador Bruno Nascimento, na década de 1950, o local funcionava como uma ponte comercial entre a população da cidade e os visitantes que embarcavam na região da orla.

“O Mercado Central foi construído com a perspectiva de ser um ponto de encontro entre as pessoas do interior e da cidade para a comercialização das produções agrícolas. Além de ser um espaço de movimentação de economia, ele tinha o objetivo de socializar e reunir os moradores”, explica o historiador.

Veja antes e depois do Mercado Central de Macapá | Fotos: Blog Porta Retrato / Arquivo PMM

Inicialmente, o prédio contava com 36 boxes divididos entre a comercialização de carnes, peixes e frangos, além de alimentos, verduras, frutas, hortaliças, ervas e produtos vindos da floresta. Outros segmentos também tinham espaço no Mercado como banca de revistas, salão de cortes de cabelo, mercearias, ourivesarias, lanchonetes, perfumarias e relojoarias.

Atualmente, a estrutura do ambiente possui 63 boxes instalados na parte interna, além das vendas na parte externa que envolve todo o entorno do espaço. Após a última obra de reestruturação, o ambiente passou a contar com praça de stake, calçamento, novos banheiros e jardim com chafariz. 

Quem conhece muito bem esse espaço, é o vendedor Francisco Almeida, de 78 anos. Conhecido como “seu Luiz”, desde criança já visitava o local nas vendas da família. Há 62 anos, o Mercado Central tornou-se uma segunda casa para ele, onde já vendeu frutas, verduras, peixes e carnes. O sentimento que o local cativou durante essa trajetória é resumido em boas lembranças, pelas amizades e convivências.

“Todo o meu trabalho no Mercado representa uma lembrança boa. São experiências que vou guardar para sempre. Convivi, trabalhei, conquistei amizades. Sou muito conhecido aqui e trato todos bem, sempre com muita honestidade”, comemora, seu Luiz. 

Vendedor Francisco Almeida, 78 anos, trabalha há 62 anos no Mercado Central | Foto: Rogério Lameira/PMM

Comemoração
programação de comemoração dos 69 anos de fundação do Mercado Central contará com alvorada festiva, café da manhã, bolo temático, exposição de carros antigos, apresentações culturais, música ao vivo, feira de artesanato, praça de alimentação, exposição de fotografias históricas do local, além do retorno do Samba no Mercado, com grupos de pagode e escolas de samba.

Para a diretora-presidente do Instituto Municipal de Turismo (MacapaTur), Daniele Nascimento, essa comemoração é ideal para destacar a importância que o espaço tem por ser um dos maiores cartões postais da cidade.

“Comemorar a fundação do Mercado é ressaltar a importância que ele tem para a população. São inúmeros trabalhadores, visitantes, turistas e clientes que passam todos os dias, anos e vidas nesse prédio histórico”, finaliza, entusiasmada. 

Saiba mais
Mercado Central de Macapá celebra 69 anos com exposições, shows, feira de artesanato e gastronomia
Ao completar 69 anos, Mercado Central de Macapá ganhará nova área comercial que privilegia o empreendedorismo
Tradicional café com tapioca sai em média a R$ 5 no Mercado Central de Macapá

Mercado Central completa 69 anos em 2022 | Foto: Rogério Lameira/PMM

Por Anézia Lima - Instituto Municipal de Turismo


O que achou desta notícia?