Carolina Gilberti, CEO da Mubius WomenTech Ventures  
Mulheres na liderança: um novo olhar que gera mais resultados nos negócios

Mulheres na liderança: um novo olhar que gera mais resultados nos negócios



Empresas existem e sobrevivem porque clientes pagam por produtos, serviços ou soluções. No Brasil, cerca de 80% das decisões de compras estão nas mãos das mulheres. Organizações que não entendem ou não dialogam com as necessidades de quem consome o que oferecem estão perdendo uma fatia importante do mercado. Não é uma questão de competição e sim de complementar competências e gerar benefícios para o ambiente profissional. 

 

Dados comprovam a importância das mulheres no mercado de trabalho 

Uma pesquisa do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) mostra que o público feminino é maioria no ensino superior. O levantamento Estatísticas de Gênero - Indicadores Sociais das Mulheres no Brasil indica ainda que elas enfrentam preconceito no mercado de trabalho e que, para vencer barreiras, precisam evidenciar e provar mais aptidões. 

Já um levantamento do Instituto Brasileiro de Governança Corporativa aponta que mulheres ocupam apenas 15,2% das cadeiras em conselhos de administração, fiscais e em diretorias de capital aberto do país. O número ainda é baixo, porém representa pequeno aumento em relação a 2022, quando elas eram 14,3%. 

Outro estudo, da XP Investimentos, mostra que o compromisso das companhias da bolsa brasileira com a diversidade de gênero aumenta o retorno dos acionistas. A corretora calculou que uma cesta com as ações das 15 empresas de capital aberto com mais mulheres no conselho de administração avançou 349% desde 2010, enquanto o Ibovespa, indicador de referência da B3, ganhou 49% no mesmo período. 

 

Como estimular a presença feminina no ambiente corporativo? 

Em meio a todo esse contexto, algumas ações merecem atenção: 

 

  1. Incentive a participação feminina em diferentes funções e em cargos de liderança;
  2. Apoie políticas públicas que assegurem os direitos das mulheres;
  3. Ofereça e garanta equidade de cargos e salários;
  4. Posicione-se de forma transparente e autêntica em relação à importância e aos impactos positivos da presença de mulheres em empresas.

 

Fato é que times diversos são mais humanos e conectados com as demandas do mundo, geram melhores relacionamentos e transformam ambientes de trabalho em lugares desejáveis. É necessário sair do discurso comum e promover uma manifestação genuína. Nesse sentido, a gestão humanizada é o futuro e as mulheres estão à frente dessa mudança. 

Conclui-se, portanto, que padrões e vícios do passado já não cabem mais no mundo atual. O saldo social e econômico só será positivo quando homens, mulheres e empresas entenderem a riqueza da união e da diversidade. O mundo corporativo pautado por competição, hierarquia, ego e individualismo está dando lugar a uma nova era em que valores como colaboração, empatia, cuidado, sustentabilidade e saúde mental são prioridades. 

 

*Por Carolina Gilberti, CEO da Mubius Womentech Ventures, a primeira WomenTech do Brasil.   

 

Sobre a Mubius WomenTech Ventures  

Parte da FCJ Venture Builder, a maior venture builder da América Latina em expansão (criada em 2013 em Belo Horizonte), a Mubius WomenTech Ventures é a primeira WomenTech do Brasil. Com metodologia própria e validada no mercado de startups, a Mubius busca investir em lideranças femininas por acreditar que se trata de um novo olhar e de uma nova forma de se relacionar e de fazer negócios. Para mais informações, acesse: https://mubius.ventures/. 

Publicidade



O que achou desta notícia?


Cursos Básicos para Concursos