Foto: Flávio Lacerda
Justiça promove mais uma etapa da Oficina de Parentalidade em Macapá

Justiça promove mais uma etapa da Oficina de Parentalidade em Macapá

Orientação foi realizada com a participação de 50 famílias de Macapá


O Centro Judicial de Solução de Conflitos e Cidadania, que funciona no Fórum de Macapá (Cejusc Rosemary Palmerim) e tem como coordenadora a titular a da 3ª Vara de Família de Macapá, juíza Joenilda Lenzi, promoveu, na terça-feira (5), a Oficina de Parentalidade. O evento foi realizado na Faculdade Anhanguera, parceira do Tribunal de Justiça do Amapá (TJAP), e consistiu em quatro horas de orientação e palestras em salas separadas por grupos: pais, mães, adolescentes e uma sala de recreação para as crianças.

Nesta segunda edição de 2023, em um total de quatro ao ano, aproximadamente 50 famílias foram assistidas com orientações estritamente instrutiva, pedagógica e didática.

A Oficina de Parentalidade é uma iniciativa do CNJ para provocar uma reflexão nos pais que passam pelo momento da ruptura conjugal. A ação aborda como agir de forma madura e responsável, como lidar com esse momento delicado para a família e como o processo pode ser menos traumático para as crianças.

“A finalidade é alcançar uma espécie de conciliação superficial, pois no processo de divórcio existe uma dificuldade de entendimento, de compreensão dos pais, e isso pode repercutir nos filhos de forma negativa”, explicou o supervisor e conciliador do Cejusc Central, Macdowell Pureza.

Por sua vez, a magistrada que coordenou a atividade, destacou a importância do trabalho realizado.

“Este projeto tem por objetivo orientar as famílias que passam pelo processo de separação e oferecer meios para que eles possam administrar a situação da forma mais positiva possível, para seu próprio bem e dos filhos”, frisou a juíza Joenilda Lenzi,

 

Por Ricardo Medeiros

Publicidade



O que achou desta notícia?


Cursos Básicos para Concursos