Reprodução

Presidente do Ijoma repudia ato racista ocorrido na entidade

Padre Paulo Roberto, presidente da entidade, divulga vídeo nas redes sociais repudiando o fato ocorrido dentro da instituição.

O presidente do Instituto do Câncer Joel Magalhães (Ijoma), padre Paulo Roberto, divulgou nesta sexta-feira, 20, vídeo nas redes sociais em repúdio a ato de racismo ocorrido dentro da instituição.

Segundo o padre, uma mulher foi até a entidade para fazer uma bateria de 30 exames clínicos. Ao chegar na sala para realizar o primeiro da lista, foi atendida por uma voluntária. A mulher então, perguntou se havia outra pessoa para fazer a coleta do exame. Chamaram a segunda voluntária, uma enfermeira. A mesma indagação foi feita.

Com a situação instaurada, as voluntárias chamaram a assistente social que atendia no momento, que conseguiu realizar o exame.

No vídeo, padre Paulo informa que as duas primeiras voluntárias são afrodescendentes, e a assistente social, da cor branca. Diz ainda, que a mulher atendida ao sair da sala de coleta, perguntou a assistente: “É só a senhora de branco que trabalha aqui dentro do Ijoma?”.

Ao saber do ocorrido, o pároco ficou indignado. “Fiquei extremamente indignado, aqui há um caso puro de racismo, de intolerância, algo que combati a viva inteira”, disse.

Sobre o IJOMA

A entidade apoia pacientes com câncer do estado do Amapá, além de divulgar e promover a prevenção da doença através de atendimentos e exames específicos realizados na sede da entidade, no bairro Alvorada, em Macapá.


O que achou desta notícia?


Cursos Básicos para Concursos